Organização da sua Área de Trabalho (Virtual + Física)

Uma certa vez ouvi de um Guru do Lightroom, durante alguns dos workshops que fiz, a seguinte frase:

“Eu posso dizer como anda a vida de uma determinada pessoa baseada no desktop do seu computador”

Fique com aquilo na cabeça durante alguns minutos e comecei a repara mais nas pessoas e no modo de trabalhar de cada uma.

Não é que este cara tinha razão?

Em praticamente 80 a 90% de todas as pessoas, sejam elas alunos, amigos, parceiros, familiares, todos tinham uma relação muito próxima quando relacionamos a disposição de informação presente na área de trabalho com o rítmo e a organização da vida pessoal fora do meio digital.

Já há algum tempo em meus cursos e workshops venho fazendo um paralelo entre a área de trabalho do nosso computador e o meio real onde convivemos e é comum as pessoas se espantarem como é precisa esta relação. 

Faça você mesmo este teste. Veja em sua casa, no seu dia-a-dia ou no do seu colega, sócio ou amigo. Se há uma organização em seu escritório, com um atendimento adequado aos clientes, com os objetos e itens necessários para consulta ou uso de determinado equipamento, onde tudo o que estiver disposto em sua mesa seja realmente necessário e esteja muito bem inserido no ambiente, com toda certeza o desktop de seu computador e consequentemente seus arquivos e demais informações relacionadas estarão seguindo o mesmo padrão.

O contrário não seria preciso nem mencionar, mas é bom detalhar. Um local caótico, onde a criatividade é a menor das preocupações com itens espalhados por tudo quanto é lado, livros jogados, HDs espalhados misturados com cabos, canetas e lápis e um ambiente totalmente fora dos padrões de estética adequada para um trabalho produtivo, com toda certeza tem uma relação muito próxima com um desktop abarrotado de informações, ícones, aplicativos, atalhos, dispositivos, com um fundo de tela com uma alta frequência de ilustrações onde até o próprio usuário tem preguiça de ficar olhando, sendo que uma vez com o computador ligado, rapidamente ele abre uma janela do Finder/Explorer para começar o seu trabalho e pouco se importa com o que há ou o que deveria estar sendo feito naquela área que possui uma tamanha importância.

O fato é: o ambiente de trabalho aguça nossa criatividade, ponto.

Nove em cada 10 pessoas durante minhas aulas me perguntam como é meu Fluxo de Trabalho e também como é meu ambiente de trabalho, como me organizo, o que levo para um evento, o que tenho de equipamento de pós-produção, como faço meus backups, e por ai vai. Há alguns meses atrás eu tenho que confessar que meu ambiente de trabalho sofria uma competição interna diante de 2 máquinas. Meu primeiro iMac, até então um xodó, uma conquista e o mais novo Macbook Pro que eu havia comprado. Era uma briga ferrenha e uma busca por uma integração interminável a fim de fazer jus à existência de ambos os equipamentos e não gerar ciúmes entre eles.

Fato é que ficou impossível de conciliar a existência de ambos e tive de tomar uma decisão que no início doeu por desfazer de equipamento tão bom, mas que depois me trouxe ainda mais tranquilidade e organização. Não fazia o menor sentido, no meu caso, possuir dois equipamentos, sendo que um eu usava fora e outro dentro do escritório.

Qual a real necessidade disso existir?
Me perguntava isso há cada momento que eu os ligava.

Consequência disso tudo, priorizei a mobilidade e vendi meu iMac. Mantive um excelente monitor que já estava comigo e descobri que meu Macbook Pro poderia servir também como um excelente Desktop.

Cerca de 80% meu tempo eu passo fora da minha casa. Eu perdia mais ou menos 30 a 40 minutos integrando ambos os equipamentos para poder trabalhar e continuar a produção de onde eu estiver.  A partir desta mudança e ruptura de um paradigma criado por mim, comecei a economizar mais tempo, mais dinheiro, mais espaço na minha bancada e deixar ainda mais meu ambiente propício à criatividade e à produção, ou melhor dizendo à pós produção.

Hoje trabalho com um monitor Dell de 23″, com painel E-IPS que possui um custo benefício fora do comum. Claro, não é um EIZO ou um LACIE, que são dois sonhos de consumo de qualquer um que seja apaixonado por Gerenciamento de Cores, Fluxo de Trabalho e Tratamento de Imagens, mas com toda certeza faz com que meu trabalho tenha uma qualidade mega superior quando comparado ao tratamento feito diretamente na tela do notebook, seja ele qual for, ou monitores de menor qualidade.

Conecto meu monitor ao meu Macbook Pro de 13 polegadas e dando ainda mais crédito para a Apple, com seus fantásticos produtos que visam e muito a também usabilidade, descobri que era possível conectar via bluetooth o mouse e o teclado e uma vez plugando o mesmo na energia eu poderia fechar sua tela e deixá-lo como um objeto de decoração, utilizando o super monitor como se nada tivesse mudado da época que eu ainda insistia em ter um iMac como meu fiel companheiro de mesa de escritório.

Este foi o primeiro ponto de ruptura.
Segundo foi alguns equipamentos que eu utilizo para tratar, como a mesa digitalizadora e um equipamento doido que encontrei durante alguns cursos que fiz, chamado de Shuttle Pro.

Não sou patrocinado pela Wacom, mas devo admitir que já testei outras marcas e a decepção foi enorme. Se você vai escolher uma mesa digitalizadora, ou melhor dizendo uma tablet, opte por esta marca. Está entre as TOP do mundo e não é por caso. Tenho um modelo Bamboo, simples e antigo, mas que faz um trabalho primoroso. Fiz questão de escolher um modelo que eu poderia desplugar o cabo USB a fim de melhorar minhas idas e vindas de casa para escritório, para as viagens e para as aulas.  Facilita o transporte e não estraga o equipamento.

Já o Shuttle Pro é um aparelho que parece um mouse alienígena que serve basicamente para inserir em seus diversos botões uma série de atalhos que facilitam e muito a vida na edição de imagens, de vídeo, tratamento, e por aí vai. Quem quiser conhecer um pouco mais sobre ele, dê uma passeada neste post que fiz especialmente sobre isso: Automatize sua vida Digital.

Possuo ainda como fonte inicial de primeiro backup uma doca. Um dispositivo que permite plugar HDs de 2,5″e 3,5″ e conectá-los ao computador como se fosse um pendrive gigante. Alguns modelos, como a que tenho, aceitam plugar 2 HDs e até efetuar um sincronismo de backup entre eles. Apesar de não curtir estas automatizações que não sei exatamente como estão sendo processadas, é uma boa ferramenta para quem quer fazer um backup sem muita preocupação (Cuidado com o desleixo!).

Por falar em backup é bom dizer que este HD é o meu primeiro backup. Chegando de meu evento efetuo a primeira cópia para este HD e daí em diante distribuo para demais cópias em outros dispositivos que possuo para garantir e integridade dos meus arquivos. Quando estou viajando, levo meus fiéis companheiros de viagem, 2 HDs de 500GB  portáteis que servem como backups temporários até que eu retorne para a terra natal. Mantenho comigo no mínimo 2 cópias offline e 1 online (cloud).

Workspace Henrique Ribas

Workspace Henrique Ribas – lightroom, hd, dock station, macbook pro, wacom tablet

Posso dizer que neste momento estruturei minha área de trabalho, digital ou física de forma que eu posso levar comigo praticamente meu estúdio inteiro numa mala pequena de fotografia e numa mochila nas costas. Tudo meu é fácilmente adaptável e sigo uma premissa muito grande em minha vida. Quem tem duas cópias só tem uma e quem tem uma cópia não tem nenhuma. Todo os dados presentes em meu computador, meu notebook, estão totalmente backupeados no escritório e na nuvem, e mesmo que algo de muito sério aconteça, é possível retornar ao trabalho em cerca de minutos em qualquer outro computador, não prejudicando o andamento do trabalho que o cliente deseja receber.

Simplifique sua vida. Organize seu ambiente de trabalho dentro e fora do computador. Transforme suas horas em minutos. Construa um ciclo de processos e etapas de trabalhos, assim como também eleja os equipamentos que fazem sentido real para o seu job. Domine tudo aquilo que seja relacionado com seu dia-a-dia no trabalho e não os deixe te dominar.

Imagino que com poucas ações e adaptações será possível transformar e elevar a qualidade e o prazer em trabalhar.
E precisando de ajuda, conte comigo. Estou disposto a ajudar a construir estes ciclos, processos, etapas, fluxos e detalhar o que será ou não necessário para que seu escritório/estúdio fotográfico ou seu ambiente digital tenha a organização e os pontos necessários para que você consiga colher ainda mais frutos no futuro.

Henrique Ribas
Fotógrafo + Lightroom Workflow Expert

Preenche o formulario para receber as novidades