Paixão pela fotografia – Reflexão

É mais ou menos de acordo com o desenho acima que começa a “evolução” da paixão pela fotografia. Em grande parte dos casos, este fascínio pelo registro fotográfico inicia-se como um simples hobbie.

Um dia ou outro com uma câmera point and shot no bolso da calça, fotografando os belos lugares que se vai, as festas de família e detalhes no jardim.

A brincadeira vai tomando outros rumos e certos acessórios são necessários para brincar um pouco mais com  aquela simples câmera sem recursos manuais. Uma segunda evolução pode ser entendida como uma migração para uma câmera com alguns recursos a mais para poder exercitar o olhar, brincar um pouco com a luz, ângulos diferentes, etc.

A coisa vai ficando mais séria, vem o primeiro curso de fotografia, aprendemos mais sobre a parte técnica, as câmeras, as lentes e suas nomenclaturas, dicas, regras, informações que nunca mais sairão da cabeça, sendo sempre aplicada no olhar, que ganha um reforço de peso.

A primeira câmera profissional agente nunca se esquece. Ai então começa o investimento em equipamentos(lentes, flashs, filtros, tochas, rebatedores, cartoes de memoria, bateria extra), veem os cursos extras para apurar o conhecimento(fotografia em estúdio, de moda, externo, flash, casamento, eventos sociais, decoração, interiores, photoshop) e claro as práticas, que são  essenciais para o aprimoramento do olhar .

Quando percebemos estamos nos atirando em campo para conseguir um ângulo inusitado, uma composição perfeita.

Acordamos de madrugada para capturar aquela luz do nascer do sol que é única para cada dia, mesmo porque, quantas vezes você não acordou de madrugada para poder presenciar “aquele”  nascer do sol e o céu estava completamente nublado?! Nada que isso não nos faça olhar ao nosso redor e procurar outro motivo para encher o quadro de nossas câmeras.

Nosso olhar está sendo lapidado. O que antes era bobagem no nosso dia a dia, hoje pode ser o item que faltava para compor com qualidade uma cena que parecia morta. O que antes  já era fantástico, conseguimos visualizar de um modo diferente, por um ângulo único, e  eternizamos então de forma a mexer com a imaginação dos expectadores.

Aprendemos a ver o mundo de outra maneira. Entendemos o que é ser minimalistas,  estamos pensamos mais nos detalhes, nas minuciosidades, nas coisas simples do mundo que passam dispercebidas diante de olhares desatentos.

Com uma câmera na mão, nos tornamos historiadores. Eternizamos cenas, ações, momentos, paisagens, sorrisos, choros, felicidades e tristezas para que outros no futuro possam ver e admirar como que o mundo era a 1/200 de segundo atrás.

Fotografia é mais ou menos isso, ou muito mais que se possa imaginar, ou melhor dizendo, criar. É algo que pode ser definido como um simples hobbie,  ou uma diversão passageira, uma ferramenta de trabalho, uma profissão ou  uma terapia, mas quando você pode juntar tudo isso num só pacote, pode ter certeza você está no caminho correto para uma constante felicidade, pois estára juntando o útil ao agradável, o trabalho com a diversão, a responsabilidade com o prazer de fazer aquilo que gosta para viver, ou melhor dizendo, viver para fazer aquilo que se é apaixonado.

Pense nisso e corra atrás dos seus sonhos.

Viva para aquilo que lhe tráz prazer, seja qual for a sua paixão.

Campanha: EU AMO FOTOGRAFAR!

Deixe seu comentário e diga em qual dos 5 estágios, da imagem do início do post, você se encontra!

Preenche o formulario para receber as novidades