A importância dos conceitos da maquiagem e o tratamento fotográfico com Photoshop

O Photoshop tem sido alvo de milhões de críticas referentes ao seu uso abusivo principalmente em campanhas publicitárias. Muitas empresas, revistas e produções de moda veem lançando campanhas mostrando o outro lado da moeda. Apoio a causa. Trata-se realmente de um estado de utilização que deve ser cauteloso e mostrar as evidências das fases da vida das pessoas pode ser e muito benéfico para determinadas propagandas.

Apesar disso, também concordo no seu uso para enfatizar determinadas situações onde há a divulgação/comercialização de algum serviço ou produto, levando claro em consideração a não manipulação da realidade e levando em conta o bom senso.

Porém, o grande vilão desta história não é o Photoshop, mas sim quem está na frente do teclado e da tablet utilizando seu potencial. Uma arma na mão de um assassino ou de um exímio policial possuem duas funções e a sua utilização de formas diferentes podem trazer consequências diferentes.

Há alguns meses venho me dedicando e muito ao estudo dos conceitos que norteiam o tratamento e retoque fotográfico. Busquei sobre fontes da Guestalt, composição, simetria, visagismo e claro, maquiagem. Repare que nenhum destes títulos tem referência direta ao Photoshop ou Lightroom, porém o entendimento de determinada aplicação do seu potencial tem total relação com os conceitos que norteiam sua base.

Entender de proporções, simetria, visagismo e maquiagem me proporcionou uma visão muito mais apurada para a finalização dos tratamentos. Saber como se faz na realidade uma maquiagem perfeita, entender os conceitos de luz e sombra, onde e como inserir um determinado tipo de elemento de tratamento, como inserir um pigmento específico de cor na pele ou a aplicação de uma base de corretivo correta, me possibilitou exatamente saber em como aplicar o uso correto de máscaras, camadas, redução de rúido, tratamento de pele, correção de rugas e olheiras, utilização do carimbo, band-aid, seleções, e assim por diante.

Dominar o uso da ferramenta é essencial, mas de nada adianta ter um pincél de maquiagem na mão se não sabemos utilizar.

Fuja dos livros técnicos e caia de cabeça nos conceitos por de trás de sua utilização final.
Busque referências, busque antes e depois, atinja o limite da absorção de conteúdo e saiba que todo e qualquer meio de captação de informação pode ser aplicada à finalização de suas imagens.

Durante meus estudos me deparei com esta imagem abaixo.
Trata-se de uma máscara, referencial, que podemos inseri-la como uma camada no Photoshop e utiliza-la como base simétrica. Quando falo sobre simetria, estamos pensando em um mundo perfeito, sobre estudos detalhados em como a face humana pode trazer uma visão estética perfeita, porém sabemos que nosso mundo não é perfeitamente desta maneira. Sem entrar nas discussões do uso excessivo ou não, recomendo o seu uso e ajustes com parcimônia.

RFMask_printable copy

Neste site há algumas explicações a respeito do seu uso assim como também para criar/aplicar corretamente junto às faces dos modelos que irá trabalhar.

Beauty Analysis (http://www.beautyanalysis.com/mba_reposefrontalmaskapplication_page.htm)

Outra grande referência que tive foi o Livro do Duda Molinos, chamado MAQUIAGEM.
Quem não conhece o Duda Molinos, procure no Google a respeito e tenha referência de um dos grandes nomes da maquiagem no Brasil. Este livro me deu uma base enorme nos conceitos de utilização do poder da maquiagem e me instigou a buscar algo mais aplicável. Sim, la fui eu fazer um curso de maquiagem. Na verdade minha esposa já buscava um curso de auto-maquiagem e consegui unir o útil ao agradável de forma a entender como eram os princípios desde a preparação da pele, eliminação de imperfeições como espinhas, rugas, olheiras, cicatrizes e isso tem total aplicação com o quão e até que ponto devemos manter ou eliminar. A partir daí, vieram os contornos dos olhos, a possibilidade do aumento do seu tamanho, as linhas delineadoras, as diferenças entre maquiagens noturnas, diurnas e fashion, o uso de sombras mais claras, escuras e seus pigmentos, por fim a utilização dos conceitos mais básicos possíveis, mas de alta importância, de luz e sombra, onde é possível afinar o nariz, diminuir a papada, aumentar o maxilar, enfatizar os lábios, a maçã do rosto e dar um toque final ao “tratamento” real aplicado.

maquiagem2

Confesso que eu tinha um certo pré-conceito. Mas passou, e acho que TODOS que vivem no meio do retoque deveriam buscar ainda mais entender deste segmento sensacional. Trata-se nada mais nada menos que um Photoshop ao vivo e quem entende deste meio, sabe que é possível fazer milagres.

Abaixo deixo alguns vídeos de retoque de pele onde pude também buscar referências e entender a união da aplicação entre a realidade e o digital.

Screen Shot 2013-10-21 at 9.57.04 AM

Screen Shot 2013-10-21 at 9.58.02 AM

 

Natalia Taffarel

Screen Shot 2013-10-21 at 10.02.16 AM

 

Preenche o formulario para receber as novidades